Filmes e séries que inspiram SORORIDADE, no U+ Cine.
Por Leticia Stankus

No universo cinematográfico, encontramos histórias que nos emocionam, nos fazem refletir e nos inspiram. E quando essas histórias abordam o tema da sororidade, trazendo à tona a união, a empatia e o companheirismo entre mulheres de diferentes gerações, o impacto é ainda mais forte. Neste post, compartilho alguns filmes e séries que trazem esses valores tão importantes para mim e que recomendo para nosso U+ Cine.

FILMES

“Tomates verdes fritos” – Prime Video
Indicado ao Oscar. Com Kathy Bates, esse clássico dos anos 90 retrata uma dona de casa infeliz que passa a visitar uma idosa num asilo. Enquanto a senhora conta uma emocionante história da sua vida, a mais jovem ganha novas perspectivas.

Classificação: Comédia – Drama – Encantador – Suave

Quer conhecer mais? Links com críticas de especialistas:
https://www.queridoclassico.com/2021/09/tomates-verdes-fritos-relacionamento-idgie-e-ruth.html

Tomates verdes fritos: uma história sobre amizade


https://www.voandocomlivros.com/post/tomates-verdes-fritos-resenha

“As Horas” – Prime Video, ClaroTV, Apple TV
Vencedora do Oscar de melhor atriz Nicole Kidman por sua personificação da escritora Virginia Woolf.
Em três períodos diferentes, três mulheres vivem e sofrem em silêncio. Une-as o romance “Mrs. Dalloway”: em 1923, Virginia Woolf, a autora, enfrenta a depressão e o medo do suicídio; em 1949, Laura Brown, a leitora, sente-se presa a um casamento infeliz e a uma vida que detesta; em 2001, Clarissa Vaughn, a quem os amigos chamam “Mrs. Dalloway”, planeja uma festa a um amigo que, no passado, foi seu amante.

Classificação: Drama – Envolvente – Emotivo – Suave

Quer conhecer mais? Links com críticas de especialistas:
https://cinemaemcena.com.br/critica/filme/6771/as-horas

As Horas

SÉRIES

“Gracie and Frankie” – Netflix
A história acompanha as duas personagens titulares, vividas respectivamente por Jane Fonda (Grace) e Lily Tomlin (Frankie), que não gostam uma da outra, mas observam impotentes suas vidas se cruzarem por uma artimanha do destino.

Depois de receberem a chocante notícia de que seus maridos, na verdade, são gays e estão se relacionando há quase duas décadas, ambas enfrentam um penoso divórcio e são obrigadas a dividir uma casa de praia, enfrentando suas próprias personalidades conflitantes até perceberem que só tem uma a outra e que, na verdade, elas têm muito mais em comum do que parece. Envolvendo-se em situações desde planos empresariais a tráfico de drogas, é essa relação hilária e tocante que nos chama a atenção desde o episódio piloto.
Falar sobre os temas discorridos ‘Grace and Frankie’ merece um artigo único, mas tentaremos resumir aqui algumas das várias reflexões que os episódios trazem às telinhas – cortesia de Kauffman, Morris e um incrível time criativo.
A série merece aplausos por quebrar tabus sobre idade e colocar em xeque uma prática extremamente preconceituosa que é conhecida como etarismo – cuja principal ideia é diminuir as necessidades e os desejos dos idosos. Em vários dos capítulos, Grace e Frankie se sentem tratadas com indulgência e condescendência e percebem que precisam usar suas vozes para ajudar a comunidade a que pertencem. Como se não bastasse, também temos incursões que falam sobre positividade corporal e sexual, homossexualidade na terceira idade, o medo do abandono e da morte, alcoolismo e reabilitação, adoção, maternidade, as múltiplas estruturas familiares da sociedade e muitos outros – tudo regado a boas doses de humor e de drama.

Classificação: Humor – Espirituoso – Irreverente – Peculiar – Drama

Quer conhecer mais? Links com críticas de especialistas:

Grace and Frankie | 5 motivos para assistir a essa INCRÍVEL série

“Supermães” ou “Working’ Moms” – Netflix
A licença maternidade terminou. Com a volta ao trabalho, quatro mães precisam conciliar filhos, chefes, amor e a agitada vida em Toronto.
A série retrata o cotidiano de quatro mulheres que convivem em um grupo de mães. Ali, suas diferenças se escancaram: elas julgam umas às outras mas também se apoiam e se sensibilizam.

Classificação: Comédia – Ácida – Apimentado – Irreverente

Quer conhecer mais? Links com críticas de especialistas:

‘Super mães’: não, ninguém é assim

5 motivos para assistir SuperMães!


https://www.institutodecinema.com.br/mais/conteudo/critica-workin-moms